Google+

Teatro das Figuras

REDE AZUL | CONVITE À CRIAÇÃO

REDE AZul

Cultura, Programação em Rede, Artes Performativas, Teatros, Públicos, Algarve


INTRODUÇÃO


A Rede AZUL [Rede de Teatros do Algarve] pretende afirmar-se como uma estrutura cultural informal que visa quer o estímulo/facilitação da criação, circulação e promoção da oferta cultural de qualidade existente na região ao nível das artes performativas e das suas derivações e diálogos, quer uma desejável e útil articulação entre os vários equipamentos municipais no que concerne às suas estratégias, metodologias e práticas de programação em determinadas áreas e segmentos, quer ainda a formação/consolidação e circulação (na região) de públicos para os campos musical, teatral, performativo e coreográfico.
Nesta linha, a AZUL pretende lançar um primeiro desafio às estruturas artísticas de cariz amador sediadas na região algarvia, visando a concepção e apresentação de uma criação original no âmbito das artes performativas, a qual possa ser estreada em 2016-2017, segundo calendário a definir, nos vários equipamentos que participam neste “Convite à Criação”.

OBJETIVOS

» Promover e valorizar a criação artística e a produção de projetos inovadores e diferenciadores no Algarve nas áreas da Música, Dança, Teatro e Performance;
» Criar condições para uma efetiva, concertada e eficaz circulação da criação artística em vários pontos do Algarve, dando-lhe mais palcos, chegando a mais públicos e tendo assim um impacto e feedback mais alargados e diversificados;
» Estimular as estruturas de cariz amador sediadas na região para novos desafios artísticos e criativos;
» Fomentar criadores e estruturas emergentes dotados de inegável consistência, exigência e qualidade artísticas;
» Privilegiar abordagens interdisciplinares ao nível dos conteúdos e formatos das criações;
» Valorizar as colaborações e intercâmbios entre diferentes criadores e estruturas artísticas (inclusive com outros não sediados no Algarve);
» Facilitar o acesso do público à produção artística concebida por estruturas da região no que toca à sua itinerância, condições de ingresso e divulgação.

DESTINATÁRIOS

Associações culturais sem fins lucrativos de cariz amador e com personalidade jurídica, sediados no Algarve.

SUBMISSSÃO DAS CANDIDATURAS

As propostas devem ser apresentadas individualmente e cada candidato pode submeter à apreciação uma proposta, a qual pode, inclusive, ser em moldes de co-produção.A entrega dos projectos deve ser feita junto de um dos parceiros da Rede AZUL, o Teatro das Figuras, podendo, em alternativa, ser enviados pelo correio para a morada: Teatro das Figuras, Horta das Figuras, 8005-518 Faro. O prazo limite de entrega das propostas é, impreterivelmente, o dia 28 de fevereiro de 2016.
As candidaturas devem ser apresentadas em envelope fechado e com pseudónimo, contendo no seu interior obrigatoriamente os seguintes elementos: a ficha de inscrição (com denominação do candidato, número de identificação fiscal e morada, telefone/telemóvel, fax, email) e uma ficha artística (que deve incluir: título da criação, nome do criador(es) e currículo(s), sinopse, duração, fundamentação da escolha, público-alvo, currículo do grupo/companhia, número de elementos intervenientes e respectivos nomes, orçamento de produção e estimativa geral de requisitos ao nível logístico para efeitos de itinerância).

SELEÇÃO

No âmbito deste primeiro Convite à Criação será selecionada, para apresentação pública e itinerância regional, uma proposta.A seleção será feita por um júri reconhecido, idóneo e isento composto por profissionais ligados às áreas da Cultura, Programação, Artes e Espetáculos.

O júri será composto por cinco elementos:
1 representante da Rede AZUL
1 representante da Universidade do Algarve
1 representante da Direcção Regional de Cultura do Algarve
2 figuras de reconhecido mérito cultural a nível nacional

O júri reserva-se no direito de não selecionar propostas que não respeitem as indicações dadas no item “Submissão de candidaturas”, que sejam enviadas fora do prazo estipulado e/ou que prestem falsas declarações na sua ficha de inscrição.
O júri reunirá no prazo máximo de um mês após a recepção das candidaturas.
As reuniões são secretas, deliberando em plena independência e liberdade, sendo as declarações de voto registadas em ata.
As deliberações são tomadas por maioria e não estão sujeitas a recurso.

O resultado das candidaturas será comunicado aos criadores e/ou estruturas através de correio electrónico.
Em termos de avaliação, o júri terá em conta os seguintes critérios gerais;
» apresentação de criações originais;
» criatividade;
» aposta em coproduções.

Paralelamente aos itens supra-referidos, o júri dará preferência, a nível de critérios específicos, a criações que privilegiem os seguintes aspectos:
» adoção de linguagens interdisciplinares e de abordagens de fusão artística;
» estabelecimento de colaborações com outros criadores/grupos/companhias, sediados ou não no Algarve;
» criação de diálogos entre tradição e contemporaneidade;
» exploração de temáticas sobre o Algarve, seu imaginário e universos simbólicos (identidades, diversidades, alteridades).

 

COMPARTICIPAÇÃO E OUTROS APOIOS

A verba total a atribuir à candidatura selecionada é de € 7.000,00 para efeitos de apoio à produção, sendo paga à candidatura vencedora da seguinte forma: 50% no ato do início da produção e 50% na data de estreia da mesma.
Caso a candidatura vencedora decline o valor atribuído, fica à consideração do júri a entrega desse valor à candidatura posicionada imediatamente atrás da candidatura vencedora.
Caso a candidatura vencedora não finalize o projecto, obriga-se a restituir todas as verbas entretanto atribuídas.
A Rede não está obrigada a esgotar a verba destinada à comparticipação financeira.
A verba é atribuída mediante a pontuação dada após a análise dos critérios (gerais e específicos) de avaliação.
O projecto escolhido pelo júri usufruirá ainda de apoio logístico ao nível de alimentação, alojamento e licenças associados à realização das respectivas apresentações.
Todos os matérias de divulgação do projeto vencedor devem utilizar o logotipo da Rede AZUL como co-produtor e da DCR Algarve como apoio.
A nível de bilheteira será adoptado, para cada apresentação da criação selecionada, um regime de co-produção em que pelo menos 30% da receita total de cada apresentação reverte para o respectivo criador/estrutura.As entidades integrantes da Rede AZUL responsabilizam-se pela divulgação da criação selecionada através dos seus canais institucionais.

ACESSIBILIDADE

É fixado um valor mínimo de 5 € para o ingresso nas apresentações públicas da criação vencedora.

CALENDARIZAÇÃO

A criação selecionada fará obrigatoriamente 1 apresentação em cada um dos teatros integrantes da Rede, a um ritmo regular e de forma continuada, de acordo com uma calendarização a definir pela Rede e pelo projeto vencedor.
Caso haja uma excecional procura por parte do público em determinado(s) teatro(s), pode equacionar-se uma apresentação extra, em moldes a definir entre o grupo em causa e o Teatro respetivo.
O local da primeira apresentação é escolhido por sorteio, sendo que a sequenciação dos restantes espaços de itinerância da criação é definida pela Rede numa lógica de diversificação/alternância geográficas.

PRAZOS
Janeiro 2016 – abertura do Convite à Criação
Até 28 de Fevereiro 2016 – período de candidaturas
Março de 2016 – análise do júri
Abril de 2016 (durante os primeiros 10 dias úteis) – audiência dos interessados
Abril a Setembro 2016 – trabalho de criação
Setembro de 2016 a Março de 2017 – apresentação/itinerância da criação vencedora/

Organização (co-produção) e Apoio
Co-produção: Albufeira, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Olhão, Portimão, S. Brás de Alportel, Silves e Tavira
Apoio: Direção Regional de Cultura do Algarve

Contactos para mais informações: redeazulalgarve@gmail.com

Newsletter